Pacheco e Lira entram na mira de servidores contra reforma administrativa

Agora, com aliados de Bolsonaro no comando do Congresso, Guedes perde o argumento de que o parlamento trava reformas, avaliam servidores.

Com as presidências da Câmara, do Senado e das mais importantes comissões ocupadas por aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o funcionalismo público teme que a agenda da reforma administrativa — proposta que muda a realidade da categoria — avance sem ajustes e negociações com os servidores.

Além da proximidade com o Palácio do Planalto, o temor é ancorado também na origem dos deputados e senadores que ocuparam esses postos: o Centrão — conjunto de partidos que não possuem uma orientação ideológica específica e que comumente negociam diretamente privilégios com o governo federal, como cargos e liberação de emendas.

Duas propostas de emenda constitucional (PECs) são motivo de preocupação. A PEC Emergencial nº 186, de 2019, prevê a redução temporária de 25% da jornada laboral e salário de servidores em períodos de crise financeira. Já a PEC nº 32, de 2020, chamada de reforma administrativa, mexe na forma de contratação, na remuneração e no desligamento de pessoal.

Agora, com as eleições no Congresso resolvidas, os alvos dos servidores serão Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG). A atuação deles é imprescindível para a tramitação das matérias.

Em entrevista ao Metrópoles, Alberto Ledur, coordenador executivo da Federação Nacional dos Trabalhadores dos Ministérios Públicos Estaduais (Fenamp) e representante do Movimento a Serviço do Brasil, grupo que defende os interesses do funcionalismo, ponderou sobre a atuação do Congresso sobre o tema.

“A nossa intenção é mostrar para a sociedade o impacto das mudança, por exemplo, no atendimento na ponta. Cortar jornada e salário de servidores significa, na prática, menos médicos, enfermeiros, professores”, explica.

Alberto defende que a discussão das matérias tenha espaço para os diversos pontos de vista. “Queremos um ambiente em que possamos apresentar outras perspectivas”, destaca.

Confira a matéria no Metropoles: https://www.metropoles.com/brasil/servidor-brasil/pacheco-e-lira-entram-na-mira-de-servidores-contra-reforma-administrativa

 

Deixe uma resposta